PRESSÃO LEVA PREFEITURA A LIBERAR VERBA PARA SAÚDE NO RIO

Por 27 de outubro de 2017 Notícias Sem comentários
MEDICAMENTOS ROCHA FARIA

Protestos de usuários, profissionais de braços cruzados por falta de salários, bombardeio da mídia e fiscalização de parlamentares pressionaram a Prefeitura a liberar 36,4 milhões para as OSs que administram unidades de saúde no município do Rio de Janeiro.
Entre as Organizações Sociais que vão receber o repasse, está o IABAS – Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde, responsável pela gestão do Hospital Municipal Rocha Faria.
Estive pessoalmente na unidade, em Campo Grande,verificando as denúncias que venho recebendo e constatei a situação caótica. Faltam medicamentos, insumos e o número de profissionais é reduzido. Quem vai ao Rocha Faria em busca de socorro é dispensado e orientado e procurar outra unidade.
Dos recursos liberados pela Prefeitura, caberá ao IABAS o montante de R$ 5, 5 milhões, que serão destinados ao pagamento dos salários. Os contratados pela instituição estão sem salários há dois meses.
A precariedade no Rocha Faria, porém, não é um fato isolado. A Prefeitura, assim como o Estado, entregou a gestão das unidades de saúde às organizações sociais, modelo que venho condenando desde a implantação. Os Governos Estadual e Municipal atropelaram a Constituição em seu artigo 196, que preconiza que “A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para a promoção, proteção e recuperação”.
Transferiram a responsabilidade constitucional à iniciativa privada.
Minha luta permanece em defesa da saúde pública, no estrito significado, gerida pelo executivo, com a realização de concursos e oferecendo assistência digna à população, do jeito que deve ser e que a sociedade merece.

Comente