COMISSÃO CRIARÁ FRENTE PARLAMENTAR PARA ENFRENTAR TERCEIRIZAÇÕES

Por 18 de julho de 2016 Notícias Sem comentários
20160715_112347

Formar uma Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos previdenciários e trabalhistas e lançar um manifesto dirigido aos líderes dos partidos no Congresso foram algumas das propostas tiradas em audiência pública, na Alerj, para enfrentar a aprovação, no Senado, da lei que regulamenta a terceirização.

Promovida pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, presidida pela Deputada Enfermeira Rejane ( PCdoB), a audiência reuniu líderes e representantes de centrais sindicais e de sindicatos de várias categorias, além da representação do Ministério do Trabalho e a Superintende Estadual de Enfrentamento da a Violência contra as Mulheres. Houve consenso que as propostas em curso no Governo Michel Temer são uma ameaça a todos os trabalhadores e, principalmente às mulheres.

Durante a audiência, Carolina Gagliano, técnica do Dieese apresentou pesquisa realizada pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio Econômicos, mostrando que as mulheres serão as mais prejudicadas com a aprovação do PLC 30/15, antigo 4330/15, defendido pelos empresários:

– A terceirização traz prejuízos a todos os trabalhadores, mas as mulheres serão as mais afetadas, porque já estão em situação mais precária e vulnerável no mercado de trabalho. Os salários das terceirizadas são aproximadamente 27% menores dos que as contratadas diretamente, estão sujeitas a uma rotatividade em torno de 45% e cada vez mais vai gerar divisão na representação dos sindicatos.

Foi unanimidade também entre as participantes da audiência que a reforma da previdência que quer alterar a idade mínima de aposentadoria, acabando com o tempo de serviço, vai prejudicar a todos os trabalhadores, mas será ainda mais cruel para as mulheres ao retirar seus cinco anos, porque não leva em consideração o fato de a maioria começar a trabalhar muito cedo e ter que responder pela dupla ou tripla jornada que exercem diária e ininterruptamente no mercado e no cuidar das casas, crianças e idosos.

A Deputada Enfermeira Rejane se colocou ao lado das mulheres trabalhadoras na luta pela garantia dos direitos já conquistados e disponibilizou a Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher para receber propostas de projetos de lei na ALERJ que possam fazer avançar no Estado melhores condições do trabalho feminino. Nesse sentido, estabeleceu um acordo com a Superintendência Regional de Trabalho no qual as centrais e sindicatos concentrariam suas denuncias na CDDM de modo a ter o apoio de reforço do Poder Legislativo junto à fiscalização das empresas que desrespeitam os direitos trabalhistas.

Salvar

Comente