MANCHETE EQUIVOCADA DESCONSIDERA VALOR DA ENFERMAGEM

Por 17 de agosto de 2017 Notícias Sem comentários
REJANE

Matéria publicada pelo G1 – mídia do grupo O Globo , vem causando reações negativas no meio da Enfermagem, entre profissionais e estudantes, assim como na sociedade. O impacto é grande quando se lê a manchete:
“Enfermagem é para quem não passou em medicina, sabe fazer curativo e não teme cenas fortes? Veja o que é fato na carreira”.

Chamada infeliz e equivocada que reforça o estigma de que Enfermagem é uma profissão de menor importância, dispensável e, portanto, não merece o reconhecimento. O que porém , não condiz com o conteúdo da matéria. É preciso ler com atenção e interpretar, o que os tempos de redes sociais e zaps tornou quase descartável esse hábito tão importante e necessário. O título do G1, sem dúvida reforça o preconceito e o menosprezo existente entre a classe médica e a enfermagem, e isso não é de hoje. Reavivando a memória, este ano, calouros de medicina de uma faculdade de Petrópolis participaram do trote, onde o grito de ordem era “Ô Enfermeiro, vai se f… nós somos os filhos que seus pais queriam ter”. O episódio causou indignação à sociedade e suscitou manifestações de repúdio das entidades representativas da Enfermagem. Um desrespeito aos trabalhadores da maior categoria da área da saúde e uma demonstração da falta de conhecimento dos futuros médicos de que a saúde é feita por equipes multiprofissionais, que se complementam na assistência. O menosprezo pelo profissional de enfermagem é uma situação com a qual nos deparamos diariamente e contra a qual luto incansavelmente. Enfrentando o preconceito e a discriminação com elaboração de leis que garantam aos auxiliares, técnicos e enfermeiros o mesmo tratamento dispensado aos médicos e a outras categorias profissionais.

Talvez, movido pelas manifestações contrárias à manchete, o G-1, prosseguiu na seqüência de reportagens sobre a Enfermagem, mostrando, hoje, a abrangência da atuação profissional :
“Depois de 10 anos de atuação em UTI pediátrica, enfermeiro coordena área financeira em hospital”.
Independente de o conteúdo ter de ser lido com atenção provocando a reflexão, é fundamental que o G1 e os demais veículos de imprensa tenham cuidado na abordagem de temas que tratem do perfil das diversas categorias. De forma que as manchetes e chamadas não dêem margem à interpretações equivocadas, desvalorizem a imagem profissional, condenem as escolhas por esta ou outra carreira e promovam disputas de classe.

 

http://g1.globo.com/educacao/guia-de-carreiras/noticia/enfermagem-e-para-quem-nao-passou-em-medicina-sabe-fazer-curativo-e-nao-teme-cenas-fortes-veja-o-que-e-fato-na-carreira.ghtml

http://g1.globo.com/educacao/guia-de-carreiras/noticia/enfermeiros-x-medicos-alunos-de-enfermagem-debatem-rivalidade-entre-as-profissoes.ghtml

http://g1.globo.com/educacao/guia-de-carreiras/noticia/depois-de-10-anos-de-atuacao-em-uti-pediatrica-enfermeiro-coordena-area-financeira-em-hospital.ghtml

 

Comente